Home 2018 São Bento 2 X 0 São Paulo – 1ª rodada
São Bento 2 X 0 São Paulo – 1ª rodada

São Bento 2 X 0 São Paulo – 1ª rodada

0
0

 

Por: Gabriel Perecini (@perecenispfc01)

Com a Copa do Mundo, o péssimo calendário brasileiro ficou ainda pior (sempre com anuência dos clubes), com uma pré-temporada reduzida a menos de 15 dias. Neste cenário, o São Paulo, que deverá jogar em doze dos treze* meios de semanas até o início do Campeonato Brasileiro, optou por iniciar o estadual com uma equipe totalmente alternativa.

Do time que foi à campo, seis eram jogadores revelados na base de Cotia: o zagueiro Rony, os meio-campistas Paulo Henrique, Pedro Augusto e Araruna, o lateral improvisado de ponta Junior Tavares e o atacante Bissoli. Destes, três fizeram sua estreia no profissional (Rony, Paulo Henrique e Pedro Augusto, além de Bissoli, que jogou poucos minutos no último jogo do ano), enquanto Junior Tavares “estreava” na nova função citada. Um time completamente modificado enquanto os titulares aperfeiçoam a forma física, técnica e tática.

Com essa formação repleta de garotos que nem sequer são os grandes destaques da base são-paulina, o Tricolor começou a partida tentando propor o jogo, com o São Bento esperando os primeiros movimentos dos visitantes para reagir. A equipe do interior conseguiu dois acessos seguidos no Campeonato Brasileiro, nas séries D e C, incluindo a melhor defesa da terceira divisão, o que explica a postura mais cautelosa no começo.

A falta de entrosamento e a juventude do São Paulo, além das características mais defensivas dos homens de meio campo, comprometia o setor de criação. Junior Tavares e Maicosuel, os jogadores abertos, pouco conseguiam acelerar o jogo (natural pelo começo do ano) e não havia triangulações para opções de passe e progressão ofensiva. O jogo era morno, com o São Bento buscando contra-ataques rápidos, principalmente pelos lados, e a equipe do Morumbi com uma posse nada produtiva.

No primeiro tempo, a única emoção foi uma cabeçada de Lucio Flavio que Sidão fez boa defesa, mas o jogo já estava paralisado por impedimento. O pragmatismo, até esperado, prevaleceu.

Na segunda etapa, o ritmo seguiu o mesmo. Raros foram os momentos de aproximação dos meias com pontas e o centroavante. Bissoli, isolado, também não conseguia segurar a bola para chamar o time para frente.

Em uma saída de jogo, Maicosuel perdeu uma bola boba para Regis pela lateral, ainda no campo de defesa, e voltou para tentar a recuperação. Reinaldo demorou para recompor e Maico não conseguiu o desarme na linha de fundo. O lateral do São Bento fez o drible e cruzou. Rony, mal posicionado, não conseguiu cortar e Anderson Cavalo, que havia acabado de entrar, testou para o gol. Sidão não conseguiu uma possível, mas complicada defesa. Gol em duas falhas individuais.

O São Paulo, então, tentou ser mais agressivo, mas pouco mudou, mesmo com as alterações e entradas de Brenner, para auxiliar no ataque, e Marcos Guilherme. Ainda deu tempo, faltando 10 minutos, para Reinaldo perder outra bola boba e o árbitro inventar uma falta na meia-lua. Em jogada ensaiada, o São Bento definiu o jogo, após Sidão tentar adivinhar o canto da cobrança.

Atuação bastante ruim, mas nada surpreendente pelo time que foi a campo. A estratégia adotada é coerente com o calendário, visando uma melhor preparação física para atingir o ápice quando as partidas mais decisivas e complicadas chegarem. Dorival já confirmou que um time bastante modificado vai à campo no jogo seguinte, mas diferente do que jogou hoje. Não há um caminho exato para o sucesso, mas o planejamento para a temporada parece estar sendo bem feito, pelo menos no quesito físico e nos primeiros passos de 2018.

De positivo, uma amostra do que pensa Dorival para os titulares: 4-1-4-1, o mesmo que terminou 2017, com um volante recuando até os zagueiros para auxiliar na saída de jogo e os laterais atacando por dentro, com os pontas dando amplitude e tentando gerar superioridade numérica. Tudo isso ainda está em fase embrionária, mas, se conseguir ser colocado em prática, é promissor.

 

O melhor: Aderllan. Seguro por cima e por baixo, perdeu apenas um lance, em bote errado no primeiro tempo que não resultou em perigo. Partida segura e firme em sua estreia como titular.

O pior: Reinaldo. Voltou andando no primeiro gol, após erro de Maicosuel, e perdeu uma bola boba no segundo gol. Fraco no apoio e deixou muitos espaços nas suas costas durante o jogo.

 

 

FICHA TÉCNICA (via Lancenet!)

São Bento 2X0 São Paulo

 

Data: 17/1/2018

Local: Estádio Walter Ribeiro, em Sorocaba – SP

Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza – SP

Assistentes: Danilo Simon Manis e Herman Brumel Vani, ambos de SP

Cartões Amarelos: João Paulo e Diego Felipe (SBT) e Pedro (SAO)

Público e renda: 9.147 pagantes/R$ 341.350

GOL: Anderson Cavalo (23’/2°T) e Maicon Souza (40’/2°T)

 

São Bento: Rodrigo Viana; Régis, Douglas Assis, João Paulo, Fábio Bahia, Marcelo Cordeiro, Léo Itaperuna (Lucas Farias), Celsinho (Diego Felipe), Lúcio Flávio (Anderson Cavalo), Maicon Souza e Lucas Crispim

Técnico: Paulo Roberto Santos

 

São Paulo: Sidão; Bruno, Rony, Aderllan e Reinaldo; Araruna (Marcos Guilherme), Paulo Henrique e Pedro; Júnior Tavares (Marquinhos Cipriano), Maicosuel (Brenner) e Bissoli

Técnico: Dorival Júnior

*Para isso acontecer, basta passar de fase no Campeonato Paulista e chegar à quarta fase da Copa do Brasil

 

 

Confira o vídeo do jogo:

 

**Imagem: Luciano Claudino/Agência O Globo

Perecini São-paulino desde 1930, antes de nascer. Uma vida inteira dedicada a amar, incondicionalmente, o Clube da Fé. Nas prioridades da vida, primeiramente vem o Clube e, depois, o resto. Devoto Dele: Rogério Ceni. "Dentre os grandes, és o primeiro". Ídolos: Rogério Ceni, Raí e Telê.