Home colunas Perecini A postura de Pratto, por enquanto, é excelente
A postura de Pratto, por enquanto, é excelente
0

A postura de Pratto, por enquanto, é excelente

0
0

Por: Gabriel Perecini (@perecenispfc01)

O provável forte interesse do River Plate (ARG) em Lucas Pratto é o que mais tem mexido com o universo são-paulino, principalmente pelos valores chamativos especulados e pelas matérias que saíram na mídia brasileira. A realidade, porém, é que as notícias no Brasil deram um tom muito mais alarmante do que foi a entrevista do argentino à TNT Sports.

Em sua participação no programa de sua terra natal, Pratto enfatiza diversas vezes que só “colocará as coisas na balança”, como divulgado por aqui, se o River Plate se acertar com o São Paulo. Em mais de uma oportunidade, o camisa 9 afirma estar muito contente com o tratamento que recebeu e recebe no Morumbi, e que tem muito respeito pela agremiação, enfatizando que só considerará uma proposta caso o Tricolor tenha interesse em vendê-lo.

Pouco depois do fim do complicado Campeonato Brasileiro, Pratto foi claro ao dizer que gostaria de brigar por títulos com a atual equipe em 2018, além de ressaltar que “seria falta de respeito” falar com alguém se o clube tiver vontade de continuar com o centroavante. Aliás, em absolutamente todas as entrevistas que deu desde que chegou, o atacante teve uma postura mais que exemplar.

Não vou mentir que o trauma deixado por Edgardo Bauza, com sua saída pouco mais de um mês após cravar que não trocaria de emprego “nem pela seleção argentina”, coloca um pé atrás e nos deixa mais calejados, mas Pratto parece ser uma pessoa muito mais correta e escrupulosa nesse sentido (a transferência do Atlético/MG é um exemplo). A parte que diz se sentir seduzido pelo interesse dos Millonarios, no contexto em que foi dita, é absolutamente normal.

A partir de janeiro, Pratto passará a ter em seu contrato uma cláusula de rescisão de 11 milhões de euros (atualmente, cerca de 10 milhões de reais a menos do que o River Plate estaria disposto a oferecer, segundo divulgado pela imprensa). Mesmo assim, o São Paulo só é obrigado a liberar se, além da multa, o salário for pouco mais que o dobro do que o jogador ganha atualmente, algo completamente distante dos padrões argentinos*. Em outras palavras, o atleta só sairá se o Tricolor aceitar ou se o centroavante fizer muita força, tornando a situação insustentável. Hoje, ambos os casos são improváveis.

Pelo lado são-paulino, é preciso continuar com o pensamento de que Pratto é inegociável. Apesar de não ter tido, tecnicamente, um bom fim de temporada, o hermano é peça importantíssima para que o clube possa dar um passo adiante e avançar corretamente na reestruturação iniciada. Tem excelente postura, é um dos grandes líderes do elenco e segue sendo um dos melhores centroavantes do Brasil. O argentino tem muito a oferecer e colaborar em 2018.

É natural que grandes jogadores despertem interesse de outras equipes e se sintam honrados com isso, mas acredito no comprometimento de Pratto e, caso o São Paulo demonstre que conta com ele e o tamanho de sua relevância no elenco, devemos continuar com um ótimo atleta para o ano que se aproxima.

 

*Trecho tirado da matéria do Globoesporte.com, que responde uma série de perguntas sobre a contratação e questão contratual de Lucas Pratto. Para ler, clique aqui.

 

*Imagem: Paulo Pinto/saopaulofc.net

Perecini São-paulino desde 1930, antes de nascer. Uma vida inteira dedicada a amar, incondicionalmente, o Clube da Fé. Nas prioridades da vida, primeiramente vem o Clube e, depois, o resto. Devoto Dele: Rogério Ceni. "Dentre os grandes, és o primeiro". Ídolos: Rogério Ceni, Raí e Telê.